Out 25

Fora de jogoSim. Em determinadas circunstâncias é extremamente difícil de avaliar, quando um jogador, naquela posição, toma ou não parte activa no jogo.
A lei 11, que trata precisamente do FORA DE JOGO, diz-nos, entre outras instruções, o seguinte:
Um jogador encontra-se em posição de fora de jogo se estiver mais perto da linha de baliza adversária do que a bola e o penúltimo adversário.
Contudo, é preciso entender que um jogador apenas deve ser punido se, no momento em que a bola é tocada por um colega ou é jogada por um deles, esse jogador, em posição de fora de jogo, toma, na opinião do árbitro, parte activa no jogo. Caso contrário, não deve ser punido.
E o que é tomar parte activa no jogo?
- É intervir, jogando ou tocando a bola passada ou tocada por um colega de equipa.
- É influenciar um adversário, o que significa impedir um adversário de jogar ou poder jogar, obstruindo a linha de visão ou movimentos, que iluda ou distraia  o adversário.
- É tirar vantagem dessa posição. É jogar a bola que ressalta na sua direcção ou proximidades, após ter batido no poste ou na barra, ou jogar a bola que ressalta na sua direcção, vinda de um adversário, em ambos os casos estando em posição de fora de jogo.
Para acrescentar a estes 3 casos, que explicam claramente, quando é que um jogador deve ser punido, há entretanto, 2 situações extremamente difíceis de analisar e julgar:
a) – quando  um jogador se encontra em linha com o penúltimo adversário
b) – quando um jogador se encontra em linha com os dois últimos adversários
 pois, em  ambos os casos não devem ser punidos, mesmo que tomem parte activa no jogo.
Aspectos a considerar: - Colocação, análise e julgamento. Muito difícil.

Out 19

As faltas e comportamentos anti desportivos fazem parte da lei 12ª.das 17 que constam do livro das Leis do Jogo 2006,última edição actualizada, da superintendência da FIFA e supervisionadas pela IFABoard.
As sanções técnicas estão separadas, segundo a sua gravidade, por pontapés livres directos e indirectos, assim como as disciplinares, por advertências e expulsões, que correspondem, respectivamente, à exibição do cartão amarelo e vermelho..
TOCAR DELIBERADAMENTE A BOLA COM AS MÃOS, isto é, jogar ou controlar a bola com a mão,  é punido com um pontapé livre directo ou grande penalidade. Existem, contudo, 4 situações em que o jogador, para além do pontapé livre directo deve ser também advertido por comportamento antidesportivo ao tocar, de uma forma deliberada e ostensivamente, a bola com a mão: 
a) – Impedir a linha de passe para um adversário.
b) – tentar marcar um golo na baliza adversária, quer a bola entre ou não.
c) – Evitar, sem o conseguir, que a bola entre na sua baliza.
d) – Anular um ataque prometedor e perigoso para a sua baliza.
Devemos acrescentar que, em relação às alíneas a) e d), o facto do jogador tocar deliberadamente a bola com a mão sem evitar que aquela prossiga o seu movimento para o adversário e concedendo o árbitro a lei da vantagem, assim que o lance termine, o jogador que tocou na bola com mão deverá, na mesma, ser advertido. O facto da bola seguir para o adversário, não anula o seu comportamento, que foi por demais evidente, devendo, por isso, ser sancionado disciplinarmente.